Domingo da Ressurreição do Senhor

"Ele não está aqui, Jesus está vivo”.

O Evangelho de Mateus relata que, "após o sábado, ao raiar do primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria vieram ver o sepulcro... o Anjo do Senhor estava sentado sobre a pedra... e, dirigindo-se às mulheres, disse-lhes: Não temais! Sei que estais procurando Jesus de Nazaré, o Crucificado. Ele não está aqui, pois ressurgiu, conforme havia dito" (cf. Mt 16,1-7). O anjo, no entanto, explica-lhes que erraram o endereço: Ele não está aqui! O sepulcro pouco importa, o que importa é o Jesus vivente. Ele ressuscitou e vive no meio de nós. Portanto, não devemos procurar quem está vivo entre os mortos (Lc 24,5). Jesus está vivo, alegremo-nos, pois nós também ressuscitaremos. Para que isso se torne uma realidade devemos "procurar as coisas do alto" (Cl 3,1), isto é, a vida nova revelada em Jesus Cristo e, ao mesmo tempo, colocá-la em prática em nossa vida. 
“Quem tenta viver como ele viveu, já começa a sentir em si as forças de ressurreição. Dentro de sua mortalidade vai se formando a imortalidade. A morte apenas deixará cair o invólucro que escondia o tesouro precioso: a vida, agora plena porque realizada na total comunhão e amor com todas as criaturas de Deus”.
Na Última Ceia, Jesus mostrou-nos pelo gesto do lava-pés, que o melhor meio de anunciar a Ressureição, de testemunhar nossa fé na Vida Plena, de modo vivo e convincente, é através do serviço, através de um relacionamento acolhedor com o outro, colocando-se a serviço do outro.
O Mistério de Jesus iniciado na última Ceia, marcada pelo serviço, pela agonia do Getsemani, quando o silêncio de Deus o angustiou, tornando-se pesadíssimo no momento da Cruz, reflete a vida da humanidade e nossa vida pessoal. Também nós, nos vemos angustiados e crucificados sem uma resposta de Deus. O Mistério Pascal de Jesus tem uma mensagem clara e urgente ao mundo e a cada um de nós: “tenha fé, confie em Deus e o Senhor te libertará da morte”. Te libertará da morte que mata aos poucos, com pedras que impedem a passagem para a vida e para o viver, sepultando esperanças, alegrias, sonhos, projetos, relacionamentos...
Muitos homens e mulheres no decorrer da história entenderam perfeitamente omandamento “novo” de Jesus e, imediatamente traduziram em suas vidas em palavras e obras. Temos o exemplo de Francisco de Assis que procurou durante toda a sua vida, radicalmente, anunciar e testemunhar com a vida, o modelo de Vida Plena deixado pelo Mestre. Charles de Fouculd, que se propôs evangelizar testemunhando o Evangelho sem dizer uma palavra, mas se colocando a serviço dos pobres do deserto da Argélia. Madre Tereza de Calcutá, um exemplo de como deixar, na história da humanidade, marcas profundas do Amor de Deus, quando ela passava o tempo todo de sua vida cuidando dos “empobrecidos” da Índia. E poderia recordar de tantas outras pessoas que seguiram com largueza as pegadas do Nazareno. E nós, o que faremos diante do exemplo do nosso Mestre e Senhor? Queremos de fato ressuscitar com Ele?

Fraternalmente;

Frei Miguel da Cruz, OFM.
Assistente Espiritual Nacional para JUFRA
Domingo da Ressurreição do Senhor Domingo da Ressurreição do Senhor Reviewed by Juventude Franciscana Florianópolis on 9.4.12 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui o seu comentário! A Juventude Franciscana alegre-se em receber sua mensagem! Gratidão! Paz e Bem.

Jéssica Pires