9° dia da novena de Santa Clara


COM CLARA REVIVER O PERDÃO DE ASSIS
Símbolo – CRUZ DE SÃO DAMIÃO - Palavra – PERDÃO
Canto - (à escolha)
Texto de abertura - “O servo de Deus Francisco, pequeno de estatura, humilde de espírito, menor por profissão, enquanto vivia no mundo, escolheu do mundo para si e para os seus uma pequena porção, desde que de outra maneira não podia servir a Cristo, se não tivesse algo no mundo. Pois, não sem a presciência do oráculo divino, desde tempos antigos se chamava de Porciúncula o lugar que devia caber, por sorte, aqueles que absolutamente nada desejassem ter no mundo. Nele também havia sido construída uma igreja da Virgem Mãe que, por sua singular humildade, mereceu depois do seu Filho ser a cabeça de todos os santos. Nela teve início a Ordem dos Menores; aí, como sobre fundamento estável, levantou-se a nobre estrutura deles, em grande multidão. O santo amou este lugar mais do que a todos, ordenou que os irmãos o venerassem com especial reverência, quis que ele fosse sempre guardado como espelho da Religião na humildade e na altíssima pobreza, reservando a outros a propriedade dele, retendo tão somente o uso para si e os seus” (2Celano 18).
ORAÇÃO INICIAL (Própria do Ano Clariano)
C – Francisco estava rezando na igrejinha da Porciúncula, próximo a Assis, quando o local ficou totalmente iluminado e o santo viu sobre o altar o Cristo e, à sua direita, Nossa Senhora, rodeados por uma multidão de anjos. Perguntado sobre o que desejava para a salvação das almas, Francisco respondeu:
Voz 1 - "Santíssimo Pai, mesmo que eu seja um mísero pecador, te peço que, a todos quantos arrependidos e confessados virão a visitar esta igreja, lhes conceda amplo e generoso perdão, com uma completa remissão de todas as culpas". O Senhor teria lhe respondido:
TODOS - "Ó Irmão Francisco, aquilo que pedes é grande, de coisas maiores és digno e coisas maiores tereis, acolho, portanto, o teu pedido, mas com a condição de que tu peças esta indulgência, da parte minha, ao meu Vigário na terra (o Papa)".
C - Logo após, Francisco apresentou-se ao Santo Padre Honório III, partilhou a visão que teve, e o Papa concedeu sua aprovação. "Não queres nenhum documento?", teria perguntado o Pontífice. E Francisco respondeu:
TODOS - "Santo Pai, se é de Deus, Ele cuidará de manifestar a obra sua; eu não tenho necessidade de nenhum documento. Esta carta deve ser a Santíssima Virgem Maria; Cristo, o Escrivão; os Anjos, as testemunhas".
C - Alguns dias após, junto aos Bispos da Úmbria, ao povo reunido na Porciúncula, Francisco anunciou a indulgência plenária e disse:
TODOS - "Irmãos meus, quero mandar-vos todos ao paraíso!".
TEXTO BÍBLICO Colossenses 3, 12-15
LEITOR – Irmãos, vós, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, revesti-vos de sentimentos de carinhosa compaixão, bondade, humildade, mansidão, paciência. Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente toda vez que tiverdes queixa contra alguém. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós. Mas, acima de tudo, revesti-vos do amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Cristo reine em vossos corações. Nela fostes chamados a formar um só corpo. E sede agradecidos. Palavra do Senhor - Todos: Graças a Deus.
Momentos de troca de ideia sobre o texto e instantes de oração partilhada
Voz 1 - Porciúncula, lugar de paz, de reconciliação, plataforma de missão. Ali, Francisco ouviu o evangelho do envio dos discípulos dois a dois, sem peso de coisas pessoais, livres, dois a dois, anunciando a paz e o bem, curando os doentes e falando que um mundo novo que está à disposição dos corações retos. Ao ouvir o Evangelho da missão, Francisco pronunciou uma frase que ainda reboa em nossos corações: “E isso que eu quero, isso que desejo de todo o coração”.
Francisco queria ser um apaixonado contemplativo do rosto de Cristo e, ao mesmo tempo, um andarilho missionário.
Voz 2 - Ali, naquele espaço, em toscas cabanas, os frades se reuniam para os capítulos, para o abraço da fraternidade, para a tomada de decisões importantes.
Voz 1 - Ali, numa noite de Domingo de Ramos de 2012, Francisco e seus irmãos transparentes acolheram uma mulher nobre e reluzente chamada Clara de Assis, esta também toda transparência.
Voz 2 - Ali, na tardinha de 3 de outubro de 1226, fazia sua páscoa, sua passagem da terra para o céu. Francisco sendo levado para as alturas pelos anjos e arcanjos, esse que fora o anjo da paz e da reconciliação, o “reinventor” do evangelho encarnado em sua vida.
Voz 1 - Foi na Porciúncula que João Paulo II quis começar as reuniões com os líderes de todas as religiões. Católicos, denominações evangélicas, muçulmanos, budistas e tantos outros se sentem bem naquele espaço de paz e de entendimento. A Porciúncula é um convite a que as pessoas se perdoem, se desarmem, somem e não dividam. Parece que ali ressoa mais fortemente o evangelho do perdão e da reconciliação. “Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós”.
Revisão de vida
Neste último dia da novena, temos vontade de rever de maneira contrita nossa vida com a luz que vem de Clara e a claridade que chega até nós emanada do grande habitante da Porciúncula, Francisco.
* Que mais chamou nossa atenção nesses dias de novena de Santa Clara? Como podemos colocar em nossas vidas algum aspecto da vida dessa mulher de Assis?
* Podemos dizer que nosso jeito simples e pobre de viver tem como fonte nosso fascínio pelo Cristo do espelho pintado por Clara?
* Até que ponto, no seio de nossas fraternidades franciscanas, nas comunidades paroquiais
somos pessoas de reconciliação e de entendimento?
* Temos vivido na prática a postura do diálogo entre as religiões?
* Temos o hábito de valorizar o ato penitencial da missa, a confissão de nossas faltas feita no santuário de nossas fraternidades?
* Como temos nos posicionado com respeito ao sacramento da reconciliação?
* Estamos abertos ao diálogo nesse tempo da diversidade?
* Os que lucram com toda sinceridade a indulgência de Assis são pessoas que estão seriamente a caminho do céu. Temos saudade do céu? Ou melhor, temos esperança dessa glória?
Ato penitencial
Recitado em comum, tendo os olhos voltados para a Cruz de São Damião:
Confesso a Deus todo poderoso e a vós irmãos e irmãs...
Que o Deus todo poderoso perdoe nossos pecados e nos leve à plenitude da glória quando tivermos terminado o tempo da viagem pela terra dos homens. Por Cristo nosso Senhor. Amém.
Canto da Oração de São Francisco pela paz
Pai nosso
Oração – Ó Deus, que na vossa misericórdia atraíste Santa Clara ao amor da pobreza, concedei, por sua intercessão, que seguindo o Cristo, com um coração pobre, Vos contemplemos um dia em vosso reino.
Por Cristo Nosso Senhor. Amém!
Benção de Santa Clara - O Senhor todo poderoso vos abençoe; volte para vós os seus olhos misericordiosos e vos dê a sua paz. O Senhor derrame sobre vós as graças em abundância, e, no céu, vos coloque entre seus santos. Todos – Amém
Canto final
Texto final
GRATIDÃO ÀS IRMÃS POBRES DE SANTA CLARA
Dou graças a Deus por todas as vezes que, exatamente junto a um mosteiro de clarissas, desde frade jovem, pude fazer a experiência de “cura”, recolocando em ordem harmoniosa os valores evangélicos de minha vocação e missão, e graças à ajuda das irmãs clarissas. Muitas vezes, pedi hospitalidade em seus mosteiros para dar novo tom espiritual à minha vida. Obrigado a todas vós, irmãs clarissas, por esta função “terapêutica” tão importante para a caminhada vocacional de uma pessoa consagrada.
Frei Giácomo Bini, OFM
Ex-Ministro Geral
“Santa Clara de Assis e de hoje: Caminho de Unidade”
9° dia da novena de Santa Clara 9° dia da novena de Santa Clara Reviewed by Juventude Franciscana Florianópolis on 10.8.12 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui o seu comentário! A Juventude Franciscana alegre-se em receber sua mensagem! Gratidão! Paz e Bem.

Jéssica Pires