Vigília de Santa Maria dos Anjos da Porciúncula



Com a intercessão de São Francisco e as bênçãos de nosso Pai realizamos junto a comunidade no dia 01/08 das 21h30 às 23h30  a Vigília de Santa Maria dos Anjos da Porciúncula.

Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando!
Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá.
E, se vier na segunda vigília, e se vier na terceira vigília, e os achar assim, bem-aventurados são os tais servos.
Sabei, porém, isto: que, se o pai de família soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria, e não deixaria minar a sua casa.
Portanto, estai vós também apercebidos; porque virá o Filho do homem à hora que não imaginais.
Lucas 12:37-40




Reflexão de Introdução  

Texto de abertura:
L1:  “O servo de Deus Francisco, pequeno de estatura, humilde de espírito, menor por profissão, enquanto vivia no mundo, escolheu do mundo para si e para os seus uma pequena porção, desde que de outra maneira não podia servir a Cristo, se não tivesse algo no mundo. Pois, não sem a presciência do oráculo divino, desde tempos antigos se chamava de Porciúncula o lugar que devia caber, por sorte, aqueles que absolutamente nada desejassem ter no mundo. Nele também havia sido construída uma igreja da Virgem Mãe que, por sua singular humildade, mereceu depois do seu Filho ser a cabeça de todos os santos. Nela teve início a Ordem dos Menores; aí, como sobre fundamento estável, levantou-se a nobre estrutura deles, em grande multidão. O santo amou este lugar mais do que a todos, ordenou que os irmãos o venerassem com especial reverência, quis que ele fosse sempre guardado como espelho da Religião na humildade e na altíssima pobreza, reservando a outros a propriedade dele, retendo tão somente o uso para si e os seus” (2Celano 18).

(momento de silêncio)

L1: Francisco estava rezando na igrejinha da Porciúncula, próximo a Assis, quando o local ficou totalmente iluminado e o santo viu sobre o altar o Cristo e, à sua direita, Nossa Senhora, rodeados por uma multidão de anjos. Perguntado sobre o que desejava para a salvação das almas, Francisco respondeu:

L2: "Santíssimo Pai, mesmo que eu seja um mísero pecador, te peço que, a todos quantos arrependidos e confessados virão a visitar esta igreja, lhes conceda amplo e generoso perdão, com uma completa remissão de todas as culpas". O Senhor teria lhe respondido:

TODOS: "Ó Irmão Francisco, aquilo que pedes é grande, de coisas maiores és digno e coisas maiores tereis, acolho, portanto, o teu pedido, mas com a condição de que tu peças esta indulgência, da parte minha, ao meu Vigário na terra (o Papa)".

L3: Logo após, Francisco apresentou-se ao Santo Padre Honório III, partilhou a visão que teve, e o Papa concedeu sua aprovação. "Não queres nenhum documento?", teria perguntado o Pontífice. E Francisco respondeu:

TODOS: "Santo Pai, se é de Deus, Ele cuidará de manifestar a obra sua; eu não tenho necessidade de nenhum documento. Esta carta deve ser a Santíssima Virgem Maria; Cristo, o Escrivão; os Anjos, as testemunhas".

L1: Alguns dias após, junto aos Bispos da Úmbria, ao povo reunido na Porciúncula, Francisco anunciou a indulgência plenária e disse:

TODOS: "Irmãos meus, quero mandar-vos todos ao paraíso!".

TEXTO BÍBLICO Colossenses 3, 12-15:
L2: “Irmãos, vós, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, revesti-vos de sentimentos de carinhosa compaixão, bondade, humildade, mansidão, paciência. Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente toda vez que tiverdes queixa contra alguém. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós. Mas, acima de tudo, revesti-vos do amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Cristo reine em vossos corações. Nela fostes chamados a formar um só corpo. E sede agradecidos.” Palavra do Senhor

TODOS: Graças a Deus.

Momentos de troca de ideias sobre o texto e instantes de oração partilhada.

L3: Porciúncula, lugar de paz, de reconciliação, plataforma de missão. Ali, Francisco ouviu o evangelho do envio dos discípulos, sem peso de coisas pessoais, livres, dois a dois, anunciando a paz e o bem, curando os doentes e falando que um mundo novo que está à disposição dos corações retos. Ao ouvir o Evangelho da missão, Francisco pronunciou uma frase que ainda reboa em nossos corações:

TODOS: “É isso que eu quero, isso que desejo de todo o coração”.

L2: Foi na Porciúncula que João Paulo II quis começar as reuniões com os líderes de todas as religiões. Católicos, denominações evangélicas, muçulmanos, budistas e tantos outros se sentem bem naquele espaço de paz e de entendimento. A Porciúncula é um convite a que as pessoas se perdoem, se desarmem, somem e não dividam. Parece que ali ressoa mais fortemente o evangelho do perdão e da reconciliação. “Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós”.

REFLEXÃO

L3: Nesta noite, estamos dispostos a rever nossa vida com a claridade que chega até nós emanada do grande habitante da Porciúncula, Francisco. Com essa intenção em nossos corações, para que possamos atingir da melhor maneira possível o Perdão de Assis, que nos foi estendido por Francisco Através de Deus, vamos nos dispor dos conceitos pré estabelecidos para repensar nossa caminhada franciscana...

à Como podemos colocar em nossas vidas aspectos da vida de São Francisco?

à Podemos dizer que nosso jeito simples e pobre de viver tem como fonte nosso fascínio pelo Cristo do espelho pintado por Francisco?

à Até que ponto, no seio de nossas fraternidades franciscanas e nas comunidades paroquiais,
à somos pessoas de reconciliação e de entendimento?

à Temos vivido na prática a postura do diálogo entre as religiões?

à Temos o hábito de valorizar o ato penitencial da missa, a confissão de nossas faltas feita no santuário de nossas fraternidades?

à Como temos nos posicionado com respeito ao sacramento da reconciliação?

à Estamos abertos ao diálogo nesse tempo da diversidade?

à *Aqueles que obtêm, com toda sinceridade, a indulgência de Assis são pessoas que estão seriamente a caminho do céu. Também temos, nós, a esperança dessa glória?

TODOS: Ó Deus, que na vossa misericórdia atraíste São Francisco ao amor da pobreza, concedei, por sua intercessão, que seguindo o Cristo, com um coração pobre, Vos contemplemos um dia em Vosso reino.
Por Cristo Nosso Senhor.
Amém!

L1: A propósito da Porciúncula, o Papa Francisco se expressou recentemente nos seguintes termos: “O caminho espiritual de São Francisco teve início em São Damião, mas o verdadeiro lugar amado, o coração pulsante da Ordem, onde a fundou e onde, por fim, entregou sua vida a Deus, foi a Porciúncula, a ‘pequena porção’, o cantinho junto à Mãe da Igreja; junto a Maria que, por sua fé tão firme e por seu viver tão inteiramente do amor e no amor com o Senhor, todas as gerações a chamarão bem-aventurada.”

L2: Para que também possamos receber a indulgência destinada a este lugar tão especial para os franciscanos, devemos, então, realizar a confissão sacramental e receber a graça do perdão; comungar o Corpo do Senhor para se unir mais profundamente a ele; orar pelo Papa; e visitar piedosamente uma igreja paroquial ou um santuário no dia 02 de agosto e rezar nela o Credo, o Pai nosso e a Ave Maria.

L3: Com o objetivo de retomar os passos de São Francisco e reviver o perdão que nos foi concedido por seu intermédio, rezemos:



TODOS:

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DOS ANJOS

Ó Nossa Senhora dos Anjos, na pequena Igreja da Porciúncula, São Francisco recebeu as vossas bênçãos generosas juntamente com sua Ordem.
Ele depositara na vossa presença materna uma grande confiança e devoção, sendo atendido em seus pedidos.
Continuai a dispensar os vossos favores sobre nós e sobre nossas necessidades particulares.
Nós vos suplicamos, dai-nos a graça da penitência dos pecados, a correção de nossas más inclinações e fortalecimento nos momentos de fraqueza. Quantos recusam a salvação e preferem caminhar nas trevas do erro! Tudo é possível para aquele que crer, para aquele que se arrepender!
Vós, ó Mãe, manifestastes a São Francisco o grande desejo de reconciliar os pecadores com Jesus, que se entregou em uma cruz para nos salvar.
Rogai por nós, agora e na hora de nossa morte.
Por isso, com todos os anjos do céu, vos saudamos:

Ave Maria...


Celebração da Vigília de Santa Maria dos Anjos da Porciúncula – 1°/08

Canto: Irmão Francisco, irmão de todo irmão
1.Irmão Francisco, irmão de todo irmão. Clara de Assis, irmã de toda irmã. Cantem ao mundo só Deus nos bastará, o amor é lindo, ele vencerá.
2.Irmão Francisco, vem me ensinar, Clara de Assis, aponta o que fazer. Para que o Senhor seja o tudo em mim, para só servi-lo que devo fazer? Vem dizer!
3. Se você quiser servir a Deus, faça poucas coisas, mas as faça bem. Pedra por pedra, com esperança de ver Jesus. Dia após dia, com alegria, sempre buscando o além.

Apresentação: Leitor 1: No calendário litúrgico franciscano, o dia 2 de agosto é dedicado à celebração da Festa de Nossa Senhora dos Anjos, popularmente conhecida como “Porciúncula”. Na introdução do texto litúrgico do missal e da liturgia das horas, se diz o seguinte:

Leitor 2: “O Seráfico Pai Francisco, por singular devoção à Santíssima Virgem, consagrou especial afeição à capela de Nossa Senhora dos Anjos ou da Porciúncula. Aí deu início à Ordem dos Frades Menores e preparou a fundação das Clarissas; e aí completou felizmente o curso de seus dias sobre a terra. Foi aí também que o Santo Pai alcançou a célebre Indulgência , que os Sumos Pontífices confirmaram e estenderam a outras muitas igrejas. Para celebrar tantos e tão grandes favores ali recebidos de Deus, instituiu-se também esta Festa Litúrgica, como aniversário da consagração da pequenina ermida”.

L1: Particularmente solenes e festivas, como em todos os anos, serão as celebrações na Basílica Santa Maria dos Anjos, onde os Franciscanos preparam-se para celebrar amanhã, dia 2, o Grande Jubileu do Perdão no oitavo centenário (1216-2016) do pedido do Pobre de Assis na Porciúncula, em “feliz e providencial” concomitância com o Jubileu extraordinário da Misericórdia convocado pelo Papa Francisco. Mais do que a lembrança do “perdão de Assis”, esta data é para toda a Ordem o símbolo dos ideais franciscanos, a volta às origens do carisma. Esta celebração que agora iniciamos deve servir como preparação para a comemoração desta data.



O carisma franciscano contemplado na Porciúncula

Canto: Imaculada
Refrão: Imaculada Maria de Deus, coração pobre, acolhendo Jesus! Imaculada Maria do povo, Mãe dos aflitos que estão junto à cruz!
1.Um coração que era Sim para a vida, um coração que era Sim para o irmão, um coração que era Sim para Deus, Reino de Deus renovando este chão!
2.Olhos abertos pra sede do povo, passo bem firme que o medo desterra, mãos estendidas que os tronos renegam: Reino de Deus que renova esta terra!
3.Faça-se, ó Pai, vossa plena vontade: que os nossos passos se tornem memória do amor fiel que Maria gerou: Reino de Deus atuando na história!

L1: Tu és abençoada pelo Senhor, porque o Deus de Israel será glorificado por causa de ti entre todas as nações, que ouvirem o Teu nome.
T: Bendita és tu entre todas as mulheres da terra.
L2: Ouçamos o que Tomás de Celano conta sobre São Francisco e a Capela de Nossa Senhora dos Anjos da Porciúncula:

L3: Dos Escritos de Frei Tomás de Celano (2Cel 18,1-19; 1Cel 106,2-7)
“O servo de Deus Francisco, pequeno de estatura, humilde de espírito, menor por profissão, enquanto vivia no mundo, escolheu do mundo para si e para os seus uma pequena porção, desde que de outra maneira não podia servir a Cristo, se não tivesse algo no mundo. Pois, não sem a presciência do oráculo divino, desde tempos antigos se chamava de Porciúncula o lugar que devia caber, por sorte, aqueles que absolutamente nada desejassem ter 21 no mundo. Nele também havia sido construída uma igreja da Virgem Mãe que, por sua singular humildade, mereceu depois do seu Filho ser a cabeça de todos os santos. Nela teve início a Ordem dos Menores; aí, como sobre fundamento estável, levantou-se a nobre estrutura deles, em grande multidão. O santo amou este lugar mais do que a todos, ordenou que os irmãos o venerassem com especial reverência, quis que ele fosse sempre guardado como espelho da Religião na humildade e na altíssima pobreza, reservando a outros a propriedade dele, retendo tão somente o uso para si e os seus. Como soubesse que o reino dos céus está estabelecido em todo lugar habitável da terra e cresse que a graça divina é dada aos eleitos de Deus em qualquer lugar, no entanto, conheceu por experiência que o lugar de Santa Maria da Porciúncula, era repleto da mais copiosa graça e frequentado pela visitação dos espíritos celestes. Por isso, dizia muitas vezes aos irmãos: cuidai, filhos, para nunca deixardes esse lugar. Se fordes expulsos por uma parte, entrai de novo por outra; pois este lugar é verdadeiramente santo e habitação de Deus. Aqui, quando éramos poucos, o Altíssimo nos aumentou; aqui, com a luz de sua sabedoria, ele iluminou os corações de seus pobres; aqui, com o fogo de seu amor, inflamou as nossas vontades. Quem rezar aqui com coração devoto obterá o que pedir, e aquele que o ofender será mais gravemente punido. Por esta razão, filhos, tende em toda honra este lugar de habitação de Deus e aqui confessai a Deus com todo vosso coração, com voz de exultação e louvor”.

Exortação ao louvor de Deus (S. Francisco de Assis)

L1: Temei ao Senhor e prestai-lhe honra!
T: Digno é o Senhor de receber o louvor e a honra.
L2: Vós todos que temeis o Senhor, louvai-O!
T: Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é contigo.
L1: Louvai-o, céu e terra!
T: Louvai o Senhor, ó rios todos!
L2: Este é o dia que o Senhor fez, exultemos e alegremo-nos nele!
T: Aleluia, aleluia, aleluia! Rei de Israel!
L1: Tudo que respira dê louvor ao Senhor!
T: Louvai o Senhor porque Ele é bom!
L2: Todos vós que ledes estas palavras, bendizei o Senhor!
T: Bendizei o Senhor, ó criaturas todas!
L1: Vós todos, pássaros do céu, louvai o Senhor!
T: Todas as crianças, louvai o Senhor!
L2: Moços e moças, louvai o Senhor!
T: Digno é o Cordeiro, que foi imolado, de receber o louvor, a glória e a honra.
L1: Seja bendita a santa Trindade e a indivisa Unidade!
T: São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate!
L2: Oremos! (minutos de silêncio)
L1: Fazei, ó Deus, que ao celebrarmos a gloriosa memória da Virgem Maria, Rainha dos Anjos, possamos também, por sua intercessão, participar da plenitude da vossa graça. Por Cristo, nosso Senhor.
T: Amém.

Rito da Palavra
L3: 1 Pd 2,4-9 Leitura da Primeira Carta de São Pedro
Caríssimos: 4Aproximai-vos do Senhor, pedra viva, rejeitada pelos homens, mas escolhida e honrosa aos olhos de Deus. 5Do mesmo modo, também vós, como pedras vivas, formai um edifício espiritual, um sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. 6Com efeito, nas Escrituras se lê: “Eis que ponho em Sião uma pedra angular, escolhida e magnífica; quem nela confiar, não será confundido”.
7A vós, portanto, que tendes fé, cabe a honra. Mas, para os que não crêem, “a pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular, 8pedra de tropeço e rocha que faz cair”. Nela tropeçam os que não acolhem a Palavra; esse é o destino deles.9Mas vós sois a raça escolhida, o sacerdócio do Reino, a nação santa, o povo que ele conquistou para proclamar as obras admiráveis daquele que vos chamou das trevas para a sua luz maravilhosa. Palavra do Senhor. 

Resposta: Fl, 2,6-11

=6 Embora fosse de divina condição, †
Cristo Jesus não se apegou ciosamente * 
a ser igual em natureza a Deus Pai. 

R. Jesus Cristo é Senhor para a glória de Deus Pai! 

=7 Porém esvaziou-se de sua glória †
e assumiu a condição de um escravo,*
fazendo-se aos homens semelhante. (R.) 

= Reconhecido exteriormente como homem, † 
8 humilhou-se, obedecendo até à morte, * 
até à morte humilhante numa cruz. (R.) 

=9 Por isso Deus o exaltou sobremaneira † 
e deu-lhe o nome mais excelso, mais sublime, * 
e elevado muito acima de outro nome. (R.) 

=10 Para que perante o nome de Jesus †
se dobre reverente todo joelho, * 
seja nos céus, seja na terra ou nos abismos. (R.) 

=1 E toda língua reconheça, confessando, † 
para a glória de Deus Pai e seu louvor: * 
'Na verdade Jesus Cristo é o Senhor!' (R.)

Aclamação ao Evangelho
R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Na minha casa, quem pede, recebe,/e todo o que busca, encontra/ e a quem bate, abrir-se-lhe-á.

Evangelho: Jo 2,13-22 – “Jesus falava do templo do seu corpo”.
Sacerdote: Do Evangelho de Jesus Cristo segundo João
A Páscoa dos judeus estava próxima, e Jesus subiu para Jerusalém. No Templo, Jesus encontrou os vendedores de bois, ovelhas e pombas, e os cambistas sentados. Então fez um chicote de cordas e expulsou todos do Templo junto com as ovelhas e os bois; esparramou as moedas e derrubou as mesas dos cambistas.  E disse aos que vendiam pombas: "Tirem isso daqui! Não transformem a casa de meu Pai num mercado.  Seus discípulos se lembraram do que diz a Escritura: "O zelo pela tua casa me consome". Então os dirigentes dos judeus perguntaram a Jesus: "Que sinal nos mostras para agires assim?"  Jesus respondeu: "Destruam esse Templo, e em três dias eu o levantarei".  Os dirigentes dos judeus disseram: "A construção desse Templo demorou quarenta e seis anos, e tu o levantarás em três dias?"  Mas o Templo de que Jesus falava era o seu corpo. Quando ele ressuscitou, os discípulos se lembraram do que Jesus tinha dito e acreditaram na Escritura e na palavra de Jesus. Palavra de Salvação.

(homilia, reflexão ou partilha espontânea da Palavra)

Canto: Meu Deus e meu tudo
R: Meu Deus e meu tudo, Meu Deus e meu tudo, Eu vou rezar! O amor não é amado,
O amor não é amado, Eu vou rezar!
1. Olhando as estrelas, Eu vou rezar. O sol a brilhar, Eu vou rezar. Sentindo a brisa, Eu vou rezar. E o vento soprar, Eu vou rezar.
2. Olhando as flores, Eu vou rezar. O verde crescer, Eu vou rezar. Ouvindo os pássaros, Eu vou rezar. E a água a correr, Eu vou rezar.
3. Ao chegar o dia, Eu vou rezar. E no pôr do sol, Eu vou rezar. Na dor e alegria, Eu vou rezar. No encontro do irmão, Eu vou rezar.
4. Na mão que me estende, Eu vou rezar. No abraço do amigo, Eu vou rezar. Ao Deus que é amigo, Eu vou rezar.

Salmo de Resposta à Palavra: Sl 95(96),1-3.7.8a.10-13 (R. cf. 3) – Deus, Rei e Juiz de toda a terra
R. Anunciai entre as nações os grandes feitos do Senhor.
1. Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira!
Cantai e bendizei seu santo nome!
2. Dia após dia anunciai sua salvação,
manifestai a sua glória entre as nações,
e entre os povos do universo seus prodígios!
3. Ó famílias das nações, dai ao Senhor,
ó nações, dai ao Senhor poder e glória,
dai-lhe a glória que é devida ao seu nome!
4. Publicai entre as nações: “Reina o Senhor”
Ele firmou o universo inabalável
E os povos Ele julga com justiça.
5. O céu se rejubile e exulte a terra,
Aplauda o mar com o que vive em suas águas;
Os campos com seus frutos rejubilem
E exultem as florestas e matas.
6. Na presença do Senhor, pois ele vem,
Porque vem para julgar a terra inteira.
Governará o mundo todo com sua justiça,
E os povos julgará com lealdade.

Saudação à Mãe de Deus (S. Francisco de Assis)
T: Salve, ó Senhora santa, Rainha santíssima, Mãe de Deus, ó Maria, que sois Virgem feita igreja, eleita pelo santíssimo Pai celestial, que vos consagrou por seu santíssimo
e dileto Filho e o Espírito Santo Paráclito! Em vós residiu e reside toda a plenitude da graça e todo o bem! Salve, ó palácio do Senhor! Salve, ó tabernáculo do Senhor! Salve, ó morada do Senhor! Salve, ó manto do Senhor! Salve, ó serva do Senhor! Salve, ó Mãe do Senhor, e salve vós todas, ó santas virtudes derramadas, pela graça e iluminação do Espírito Santo, nos corações dos fiéis transformando-os de infiéis em servos fiéis de Deus!

Preces:
L1: Elevemos a Deus nossas preces pedindo a graça de vivermos de acordo com os ideais de Francisco, expressos em torno da igreja de Santa Maria dos Anjos da Porciúncula.
L2: Na igrejinha da Porciúncula Francisco quis que os frades se dedicassem inteiramente à oração.
L3: Pai santo, fazei que vivamos sempre em ação de graças.
T: Nós vos damos graças. Dai-nos, Senhor, o espírito da santa oração e devoção.
L1: Em torno da Porciúncula, Francisco viveu os ideais de fraternidade com seus primeiros companheiros.
L2: Pai santo, fazei que sejamos verdadeiramente irmãos e irmãs segundo o santo Evangelho nas nossas fraternidades e com todos os homens e mulheres.
T: Fazei que vivamos no dia a dia como irmãos e irmãs em Cristo Jesus, nosso irmão maior.
L1: Francisco não queria possuir nada de próprio.
L2: Pai santo, concedei que não nos apropriemos de nada que possa impedir a presença de vosso Filho em nossa vida.
T: Que a altíssima pobreza seja nossa herança na terra dos vivos.
L1: A partir da igreja de Santa Maria dos Anjos da Porciúncula Francisco enviava seus irmãos em missão.
L2: Pai santo, enviados em missão, possamos testemunhar e anunciar o Cristo pobre e crucificado.
T: Que retornemos sempre ao espírito da igreja de Santa Maria dos Anjos.
L1: Francisco restaurou a igreja de Santa Maria dos Anjos.
L2: Pai santo, dai-nos a graça de contribuir para a restauração da Igreja de Cristo no nosso tempo.
T: Fazei-nos discípulos e missionários testemunhando e anunciando o Cristo pobre e crucificado.
L1: Na igreja da Porciúncula Francisco acolheu Clara em sua consagração a Deus no mesmo ideal de vida segundo o Santo Evangelho.
L2: Pai santo, abençoai as filhas de Santa Clara.
T: Pela intercessão de Santa Maria dos Anjos, elas possam ser testemunhas de vida evangélica pela contemplação, a vida fraterna e a prática da altíssima pobreza, recordando sempre às Três Ordens o carisma original e a espiritualidade a todos os chamados à vocação franciscana.
L1: Francisco teve grande amor e reverência à Igreja de Santa Maria dos Anjos.
L2: Pai santo, concedei-nos terno amor à Igreja de vosso Filho Jesus Cristo, ao Senhor Papa, aos Bispos e aos Sacerdotes.
T: Que todos os franciscanos e franciscanas sejam filhos e filhas fiéis à Santa Igreja de Cristo.
L1: Foi junto à igreja da Porciúncula que Francisco iniciou sua vida de penitência.
L2: Pai santo, que os franciscanos e franciscanas do mundo inteiro renovem todos os dias sua vida de conversão evangélica, a exemplo de Francisco.
T: Que amemos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos, odiemos o próprio corpo com seus vícios e pecados e recebamos o Corpo do Senhor.
L1: Na igreja da Porciúncula Francisco cultivou uma terna devoção à Mãe de Deus, Maria.
L2: Pai santo, que a Mãe de vosso Filho seja para todos modelo de vida segundo o Santo Evangelho.
T: Por sua intercessão, possamos imitar as suas virtudes, ser dóceis à vossa Palavra e sentir-nos envoltos em seu manto como Protetora e Advogada nossa junto de vós.
L1: Guiados pelo Espírito de Jesus e iluminados pela sabedoria do Evangelho, ousamos dizer:
T: Pai nosso...

Canto: Cristo, quero ser instrumento
1.Cristo, quero ser instrumento de tua paz e do teu infinito amor. Onde houver ódio e rancor, que eu leve a concórdia, que eu leve o amor!
R: Onde há ofensa que dói, que eu leve o perdão; onde houver a discórdia, que eu leve a união e tua paz!
2.Mesmo que haja um só coração, que duvide do bem, do amor e da fé. Quero com firmeza anunciar a Palavra que traz a clareza da fé!
3.Onde houver erro, Senhor, que eu leve a verdade, fruto de tua luz! Onde encontrar desespero, que eu leve a esperança do teu nome, Jesus!
4.Onde eu encontrar um irmão a chorar de tristeza, sem ter voz e nem vez. Quero bem no seu coração semear alegria, pra florir gratidão!
5.Mestre, que eu saiba amar, compreender, consolar e dar sem receber. Quero sempre mais perdoar, trabalhar na conquista e vitória da paz!

L1: Oremos (breve silêncio orante)
Santa Virgem Maria, entre as mulheres do mundo não nasceu nenhuma semelhante a ti, ó filha e serva do altíssimo e sumo Rei e Pai celeste, mãe de nosso santíssimo Senhor Jesus Cristo, esposa do Espírito Santo: roga por nós, com São Miguel Arcanjo e com todas as virtudes dos céus e com todos os santos junto ao teu santíssimo e dileto Filho, Senhor e Mestre.
T: Amém.
L2: Bendigamos ao Senhor.
T: Graças a Deus.





Vigília de Santa Maria dos Anjos da Porciúncula Vigília de Santa Maria dos Anjos da Porciúncula Reviewed by Juventude Franciscana Florianópolis on 2.8.16 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui o seu comentário! A Juventude Franciscana alegre-se em receber sua mensagem! Gratidão! Paz e Bem.

Jéssica Pires