Comunhão universal com a casa comum


Objetivo

Refletir sobre elementos de uma “ecologia integral” que inclua objetivamente “as dimensões humanas e sociais”; despertando a juventude a ideia/ação do cuidado com o bem comum como uma ação (vida) profética.


Introdução

O Papa Francisco, através da encíclica “Laudato Si’: sobre o cuidado da nossa comum”, nos convida a pensar e dialogar acerca das condições de vida e sobrevivência de uma sociedade no ambiente em que ela está inserida. É o que denominamos de ecologia integral, onde nos colocamos como parte da natureza. A partir do momento que nos identificamos como parte da natureza, somos provocados a refletir sobre os modos de vida e consumo das sociedades e as consequências muitas vezes sofridas pelo mau uso do espaço da “casa comum”. Uma sociedade ecologicamente “equi-librada”, sem a cultura do consumismo descartável, torna-se fundamental na garantia da vida da sua juventude, desenvolvendo também políticas de sustentabilidade. Quando incentivamos na construção de um projeto de vida que esteja incorporado o social e/o ambiente (espaço) estamos contribuindo na construção de um novo “céu e uma nova terra” (Isaías 65,17).

Ambiente e Acolhida

Sugestões:
• Pode-se colocar imagens de ambientes em que a ação humana interaja com o ambiente natural (natureza), tanto de forma sustentável e ecologicamente correta (por exemplo, empresas e prédios ecológicos), como de forma negativa e prejudicial (por exemplo, em que indústrias poluem as águas e os ares).
• O encontro/momento/reunião pode ser realizado também em locais abertos, públicos, arborizados com contato com a terra, água e sementes (sugerimos uma praça). Vai de acordo com a realidade e vontade de cada grupo.
• Podem ser cantadas algumas músicas para animação e boas vindas dos/das jovens que estão chegando. Como sugestão para inspirar o diálogo tema a música “Cio da Terra” (Milton Nascimento e Chico Buarque), mas fica a critério do grupo.
• Depois da acolhida e da oração inicial é importante começar o encontro/momento pedindo para que os/as participantes observem o espaço, as imagens, as pessoas e desenvolva algumas questões para provocar o grupo a expor o pensamento diante do tema abordado. É importante que alguém anote as falas que podem surgir.


A Palavra de Deus

Canto:
Pode-se entoar um canto ou refrão de meditação antes e depois da leitura da Palavra;

Texto:
Livro do Levítico 19,9-10;

Reflexão:
Deixar o momento reservado para partilhas

Reflexão sobre o Texto Bíblico

“O bem comum pressupõe o respeito pela pessoa humana enquanto tal, com direitos fundamentais e inalienáveis orientados para o seu desenvolvimento integral. Exige também os dispositivos de bem-estar e segurança social e o desenvolvimento de vários grupos intermédios, aplicando o princípio da subsidiariedade”. (Laudato Si’, n. 157)

O Papa Francisco nos convida a observar a realidade para compreender os cuidados que devemos ter com a nossa casa para que se torne um bem comum. Quando não colocamos este olhar no nosso projeto de vida podemos estar “inconscientemente” contribuindo com os diversos problemas sociais/ecológicos atuais e futuros.

Este convite nos provoca também a pensar nas futuras gerações que ocuparão a nossa casa comum (a terra), pois “se a terra nos é dada, não podemos pensar apenas a partir de um critério utilitarista de eficiência e produtividade para o lucro individual” (cf. Laudato Si’, n. 159). Seguindo este pensamento somos convidados/as a uma comunhão universal com a casa comum para garantir a paz social, nos reconhecendo e reconhecendo os/as que virão como parte da natureza e criando meios de vida pautados em valores de solidariedade.

* Seu projeto de vida está relacionado também com o cuidado com a casa comum?

* Que formas podemos adotar para preservar o bem comum?

* Você já ouviu falar ou conhece experiências de desenvolvimento sustentável a partir de uma economia solidária e sem degradar o meio ambiente? Cite exemplos.

Sugestões para aprofundamento:


Sugestão de Textos:

* Se achar interessante fazer uma reflexão mais profunda e conhecer os direitos assegurados pelo Estado. Você encontra-os no artigo 225 Constituição Federal de 1988. Disponível em: http://migre.me/qGpMZ
* O Estatuto da Terra - Lei 4.504/1964. Disponível em: http://migre.me/qGpQO
* Código Florestal; Lei 12651/2012. Disponível em: http://migre.me/qGpX6
* Texto base da Campanha da Fraternidade 2016. Edições CNBB.
Encíclica “Laudato Si’: sobre o cuidado da casa comum. Brasília: Edições CNBB: 2015. Disponível em: http://migre.me/qGpCO
* Consulte se seu município tem o Plano Diretor Municipal e identifique as medidas de cuidado com o bem comum; pode também realizar conversas/audiências com a comunidade e poder públicos.
* Com um olhar para a realidade o grupo pode fazer documentários audiovisuais sobre o tema e postar nas redes sociais ou apresentar em algum espaço da cidade/região.
* Carta da Terra. Disponível em: http://migre.me/qGq1o

Sugestão de documentário:

* Desenvolvimento sustentável: uma utopia – José Eli da Veiga, 2013. Disponível em: http://migre.me/qGq44
O economista José Eli da Veiga faz um histórico da utilização da expressão desenvolvimento sustentável. Primeiro ele esclarece os significados que cada uma dessas palavras tem e em seguida, sempre de um ponto de vista das ciências econômicas, ele
apresenta os desdobramentos do conceito
de desenvolvimento sustentável.

Sugestão de músicas:

* Uma só será a mesa. Letra: Renato Parmagnani e Música: Eduardo Milken, CD - CF 2002.
* Xote ecológico. Autor: Luís Gonzaga
* A Grande Maloca. Boi Garantido - Músicas Amazônicas
* Natureza espelho de Deus. Chitãozinho e Xororó
* Meu País. Zezé Di Camargo e Luciano

FONTE: SUBSÍDIO DNJ 2016
Comunhão universal com a casa comum Comunhão universal com a casa comum Reviewed by Juventude Franciscana Florianópolis on 27.10.16 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui o seu comentário! A Juventude Franciscana alegre-se em receber sua mensagem! Gratidão! Paz e Bem.

Jéssica Pires