ÁGUA PARA A VIDA!



A água é essencial para o sustento da Terra e seus habitantes.

A Assembléia Geral das Nações Unidas proclamou lá em 2003 o Ano Internacional da Água para chamar a atenção mundial sobre a crise que ronda o mais precioso recurso, a água. 

O que é a crise da água?

Algumas pessoas podem dizer que se trata de escassez e crescimento da população.
Outros podem dizer que se trata da distribuição, desperdícios, e falta de cuidado com a água numa sociedade materialista e consumista.
Outros podem dizer que se trata da privatização dos serviços de suprimento de água e propriedade – embora 95% destas atividades ainda são controladas pelo setor público.

Todo cidadão e cidadã têm, como ser humano, o direito humano à água com também à saúde e à educação. O acesso a estes bens básicos não é matéria de escolha, mas um Direito Humano.

Contudo, este direito ainda não foi formalmente reconhecido pela comunidade internacional, apesar das longas discussões e negociações nos três “Fóruns Mundiais da Água" acontecidos em 7 edições (sendo a próxima no BRASIL!), Conferência Internacional sobre a Água e discussões na ONU. Não se chegou a nenhum consenso sobre este assunto no Fórum Mundial da Água em Kyoto, em março de 2003. Foi em Kyoto que o Vaticano reiterou e elaborou uma forte defesa do direito à água. 

As pessoas não têm alternativa para a água, sobretudo quando os custos sobem, ameaçando a acesso a ela. Além disto, a provisão destes bens não podem ser deixadas às forças do mercado. “A água pela sua natureza não pode ser tratada com uma mera comodidade entre outras comodidades. O pensamento social católico sempre acentuou que a defesa e preservação de certos bens comuns, como o ambiente natural e humano, não podem ser deixados simplesmente às forças do mercado, porque eles tocam as necessidades humanas fundamentais que fogem à lógica do mercado”. (cf. Centesimus Annus, 40).

Vamos ver ao longo desta semana diversas informações sobre água. Estas informações fazem parte do segundo opúsculo na série de temas ambientais elaborados pelo grupo internacional de trabalho dos promotores e promotoras JPIC com base em Roma.

O principal objetivo é ajudar e encorajar estilos de vida sustentáveis nas comunidades religiosas. O primeiro opúsculo foi dedicado ao tema Mudança Climática e o Aquecimento Global (www.ofmjpic.org/globalwarming). Nele se encontra disponível uma rica informação sobre água e por isso não nos propomos a fazer uma exposição exaustiva sobre todos os aspectos do tema. Os sinais dos tempos nos chamam a uma conversão ambiental. 

 A questão central é por que nos devemos envolver mais neste e outros assuntos relacionados à Justiça Social e Ambiental? A água é um elemento essencial não apenas para fazer crescer as plantações e tratar os animais, mas também para a real sobrevivência das pessoas. Além disto a escassez de água é muito difusa. Em muitas áreas rurais, o nível de água está caindo, fontes são contaminadas e há uma rápida uma diminuição dos fluxos de água. A demanda competitiva dos recursos hídricos para irrigação, indústria e uso urbano e consumidores domésticos freqüentemente favorecem os mais poderosos, deixando os mais pobres com sede. A nossa inatividade poderá ter profundas conseqüências para a vida em todas as suas formas e especialmente deixando vulnerável a nossa Mãe Terra .

Alguns fatos sobre a Água …

O poeta Samuel Taylor Coleridge no “Rhyme of the Ancient Mariner” (“Versos do Velho Marinheiro”) diz:

“Água, água por toda parte e nenhuma gota para beber”.

Por que devemos nos ocupar com o tema da água? A Água doce atualmente está escasseando – o Relatório sobre o Desenvolvimento da Água da ONU prevê que “pela metade deste século, na pior das hipóteses, 7 bilhões de pessoas em sessenta países sofrerão com a escassez de água, ao menos 2 bilhões de pessoas em 48 países”.

Considerem-se estes fatos:

1. Por volta de 98% da água do planeta Terra é água salgada, imprópria para o consumo humano. Menos de 1% do total de água doce é disponível para o nosso uso; a maior parte dela está presa na neve polar e nas geleiras! Para dizer de outra forma: de cada cem litros de água menos da metade de uma colher de chá de água doce é disponível para o uso humano.

2. O consumo global de água subiu mais ou menos dez vezes desde 1900. A população mundial tem uma expectativa de crescimento de 45% nos próximos trinta anos, enquanto o aumento do desperdício de água doce é estimado em 10%.

3. As recentes estimativas são que a mudança climática resultará em cerca de 20% de aumento da escassez de água global. 

4. Outros fatores que influenciam a escassez são:
i) Degradação dos recursos hídricos; lençóis de água, rios, banhados e baías.
ii) Desigualdade de distribuição. 
iii) Conflitos de fronteiras. 
iv) Privatização. 

5. De acordo com o Relatório sobre o Desenvolvimento Humano da ONU, de 1998, três quintos dos 4.4 bilhões de pessoas no mundo em desenvolvimento têm um deficiente acesso ao saneamento básico e cerca de um terço não tem acesso à água potável.

6. Nas metas do Desenvolvimento no Milênio, do ano 2000, a Assembléia Geral da ONU concordou em reduzir para o ano de 2015 o número de pessoas (então 1.2 bilhões) sem acesso à água potável. Um objetivo semelhante para 2015 foi posto para o saneamento (reduzir para uma estimativa de 2.4 bilhões de pessoas) o que foi subseqüentemente concordado na Reunião de Cúpula Mundial para o Desenvolvimento Sustentável, em 2002.

7. O uso global de água está dividido assim: agricultura: 70%; indústria: 22% e doméstico 8%.

8. Usos ocultos da água: Em média necessita-se de água (em litros) para produzir um quilo de: batatas (1000), milho (1.400), arroz (3.400), frango (4.600) e carne (42.500).

9. Mais da metade dos maiores rios do mundo estão sendo seriamente espoliados ou poluídos, e 25 milhões de pessoas abandonaram suas casas em 1998 por causa da contaminação ou espoliação das bacias fluviais, superando pela primeira vez o número de refugiados de guerra.

10. A Organização da ONU para Alimentos e Agricultura estimou que 100 turistas usam a mesma quantidade de água em 55 dias que poderiam irrigar os arrozais e alimentar 100 habitantes locais por 15 anos.

11. Febre tifóide, malária, dengue, cólera e outras doenças relacionadas com a água são responsáveis por cerca de 5 milhões de morte por ano. Isto significa que a cada minuto do dia, em algum lugar do mundo, dez pessoas, normalmente crianças, morrem desnecessariamente.

12. Comparação do consumo de água por dia: Na Gâmbia (4.5 litros); Mali (8.0); EUA (500); na Inglaterra (200). A recomendação básica da necessidade de água por pessoa é de 50 litros, mas as pessoas podem sobreviver com 30 litros.

13. Segurança da Água e Alimentos: Na mensagem para o Dia Mundial da Paz em 2002, o Papa João Paulo II afirmou que “água é o fator básico para a segurança alimentar”. Usando um sofisticado modelo de computação, o relatório do Instituto Internacional de Pesquisa para a Política Alimentar (IFPRI) projetou para 2025, que a escassez de água causará uma perda global anual de ao menos 350 milhões de toneladas de produção alimentar, mais do que toda a atual colheita de grãos dos EUA. Em outras palavras, parece então, que um dos mais importantes fatores de queda da produção de alimentos no futuro poderá ser a água.

14. No mundo desenvolvido se consume em média 15.000 litros de água por ano para remover os dejetos humanos de cada pessoa. (35 quilos de excrementos e 500 litros de urina).

Água Engarrafada:

15. “Aproximadamente 25% da água engarrafada é apenas água da torneira. De acordo com os testes realizados nos EUA pelo Conselho de Defesa dos Recursos Naturais (NRDC), em ao menos uma amostra, se violava o padrão a ser observado ou fugia dos níveis de pureza microbiológica.”

16. A água engarrafada industrial produz lucros da venda deste bem comum às custas do meio ambiente. O bombeamento pode secar as fontes, destruir habitat, devastar ecossistemas, e enxugar os lençóis d’água. Os plásticos formam o setor que mais produz lixo e atualmente representam mais de 25% do volume de material enviado aos terrenos de descarga todos o anos.

17. O grupo Perrier, de propriedade da Nestlé, é duas vezes maior que a outra seguinte grande corporação de engarrafamento de água. A Nestlé possui aproximadamente 30% do mercado de água engarrafada. A Danone controla 15% do mercado, seguida da Pepsi e Coca-Cola. A indústria de água engarrafada vale atualmente US$22 bilhões e alguns especialistas estimam um potencial de crescimento anual de 30%”.



Fonte: http://www.ofm.org/01docum/jpic/water_pt.pdf

ÁGUA PARA A VIDA! ÁGUA PARA A VIDA! Reviewed by Juventude Franciscana Florianópolis on 10.10.16 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui o seu comentário! A Juventude Franciscana alegre-se em receber sua mensagem! Gratidão! Paz e Bem.

Jéssica Pires