Jovens emocionam com o Trânsito de São Francisco



Na noite do dia 3 de outubro, nossos corações encheram-se do mais puro amor, pois além de vivermos juntos esta data encenamos na Paróquia da Trindade, sob orientação de nosso assistente espiritual Frei Frigo, o Trânsito de São Francisco.

Foi uma noite iluminada, onde celebrando a passagem de nosso Pai Seráfico, podemos em fraternidade sentir a essência franciscana. Estavam em comunhão com a Jufra representantes dos grupos GOJ e GOU da Paróquia.

Acompanhe o texto que compôs nossa passagem abaixo e todos registros no link aqui



Ó Deus, que nosso Padroeiro São Francisco de Assis, a quem deste o prêmio da eterna santidade, concede também a nós, que celebramos com sentimento fraterno a memória de sua passagem, de seu trânsito, a graça de felizmente alcançar o premio da eterna santidade. Por Cristo Nosso Senhor. Amém

Transportemo-nos para Assis, há quase 800 anos. Três de outubro de 1226. Nos últimos dias de sua vida, Francisco, portando em seu corpo as Chagas de Cristo, e por causa da gravidade de suas enfermidades fora levado para a Casa do Bispo em Assis. Percebendo então, que a irmã morte corporal aproximava-se, pediu a seus irmãos que o levassem a Santa Maria dos Anjos, a pequença igreja que reconstruíra e onde tudo começara, quando ouvira o Evangelho de Nosso Senhor.





À exemplo de seu Mestre, derrubado fisicamente de todos os lados, e interiormente atormentado por inúmeras provações e tentações, pressentiu que seu fim aqui na terra estava próximo. Para provar um pouco de alívio pediu, então, aos frades:

Francisco: Coloquem meu corpo no chão junto a irmã terra, pois nu eu vim a este mundo, e a exemplo de Cristo pobre, humilde e crucificado, não quero apropriar-me de nada neste mundo.


Para provar um pouco de alívio pediu, então, que alguns frades lhe entoassem o Cântico das Criaturas que ele mesmo compusera dois anos antes para louvar e engrandecer seu Senhor.

Frei Elias, seu superior, sabendo que Francisco não queria ser dono de nada nem das próprias vestes, mas preocupando-se com aquele pobre homem despido e doente, lhe disse:

Frei Elias: Fica sabendo Francisco que te empresto, em virtude da obediência, este hábito, para saberes que não tens nenhum direito de propriedade, tiro-te o poder de dá-los a quem quer que seja.




Depois disso, o santo levantou as mãos para o céu e louvou a Cristo porque, livre de tudo, já estava indo ao seu encontro. Mas, para demonstrar que era um verdadeiro imitador do Cristo, em todas as coisas, amou até o fim os irmãos e irmãs, seus filhos, a quem amara desde o começo. Pois fez chamar todos os irmãos presentes, e e Clara com suas irmãs e, consolando-os de sua morte, exortou-os com afeto de pai ao amor de Deus. Falou também sobre a observância da paciência e da pobreza, dizendo que o santo Evangelho era mais importante do que todas as normas. Estando todos os frades e Clarissas sentados ao seu redor, estendeu sobre eles a mão e os abençou, e disse:


Francisco: "Filhos todos, adeus no temor do Senhor! Permanecei sempre nele! A tentação e a tribulação estão para chegar. Felizes os que perseverarem no que começaram. Eu vou para Deus, a cuja graça recomendo-vos todos".

Enquanto os frades e sua amada filha Clara, choravam amargamente e se lamentavam inconsoláveis, o pai santo mandou trazer um pão. Abençoou-o, partiu-o e deu um pedacinho para cada um comer. 

Também mandou trazer um livro dos Evangelhos e pediu que lessem o Evangelho de São João que relata Sagrada Ceia que foi a última celebrada pelo Senhor com seus discípulos. Fez tudo isso para celebrar sua lembrança, demonstrando todo o amor que tinha para com seus frades.

Francisco: Irmãos meus, caríssimos! O Altíssimo, Onipotente, Santíssimo e Sumo Deus; Aquele que é todo o bem, o sumo bem, o bem inteiro, o único bem concedeu a mim a graça de seguir e imitar seu Filho Jesus Cristo, pobre e crucificado. Durante toda a minha vida fiz de sua vida a minha vida, de seu Evangelho a minha Boa Nova, de sua Paixão a minha paixão. Por sua graça, também, fiz a minha parte! Que o Senhor vos ensine a fazer a vossa. 
Por fim, tendo-se realizado nele todos os planos de Deus, o bem-aventurado adormeceu no Senhor, rezando e cantando um salmo. Sua santíssima alma se desprendeu da carne para ser absorvida no abismo da claridade de Deus. Na mesma hora precisamente, um de seus Irmãos e companheiros, conhecido por sua santidade, viu a alma do santo subindo diretamente para o céu sob a forma de uma estrela esplêndida levada por branca nuvem que pairava sobre imensa extensão de água; alma rutilante de pureza, a reluzir os méritos acumulados, subia com toda a riqueza das graças recebidas e das virtudes que o tinham conformado à imagem de Deus, para gozar sem demora da visão da luz e da glória eternas.






Trânsito de São Francisco - 03/10/2016
Paz e Bem
Jovens emocionam com o Trânsito de São Francisco Jovens emocionam com o Trânsito de São Francisco Reviewed by Juventude Franciscana Florianópolis on 4.10.16 Rating: 5

Um comentário:

  1. Paz e bem , que lindo!Com certeza um grande momento . Parabéns a toda a JUFRA 👏❤

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário! A Juventude Franciscana alegre-se em receber sua mensagem! Gratidão! Paz e Bem.

Jéssica Pires